domingo, 29 de abril de 2012







 "O Antes" o durante...
  Nos meus 50 anos...


Sempre  buscando  este "devagar"mas  com passos  firmes...Mantendo  esta Criança  bem Viva  dentro e  Fora..

Mais que  Mil palavras...Sentir...



A Ti Filho e Todas as  Crianças de Um Novo Amanhecer! Mborayhu(AMOR )
A Mãe, as  Mães, a Mãe em Mim...Py'aguapy-mborayhu-Sem Palavras   para  Agradecer!
A  Criação!
Mae/Pai

Muito ainda  por percorrer..gratidão por  "sinalizarem os caminhos"  por andarem Junto, por  prosseguir..há flores ,há sementes  plantadas, e muitas  por  plantar, outras por florescer..outras...muitas outras...


Jamais  esquecendo o Sonhar..Porque assim  se  realiza a  Magia  do Bem Viver!
Chaltumay,Aguyjevete
Jamais deixando de SENTIR E ESTAR com os Ancestrais- "Tata"  Fogo!grande  Bisavô
Jamais esquecendo Quem  "somos"  ..não buscando Tornar-se...seguindo sendo...Quem sou...


Na  verdade não são "meus 50 anos"...
Nada  possuimos, nada  possuo, mas   que   nutro  imensa  gratidão por haver  nascido, na  familia  em que nasci e  ao longo da  vida, ter   descoberto uma  Grande  Familia, uma familia Universal, Multiétnica, Multicores, com diferentes  tradições, filosofias,Culturas crenças,modos de  SER distintos e  que  respeito profundamente.
Sem dúvida,cada etapa  trouxe  infinitos  aprendizados!

Ser Mãe aos  25  anos ,exatamente a  25 anos  atrás,nutriu meu SER de  Mulher  contemplando-me  de  forma mais que abençoada, com nascimento desta 'cria" LINDO  FILHO!
Aprendo  à  cada segundo que  o que realmente  importa nesta  trajetória por aqui  não  é  o ter e  sim o 'SER"e  que a  abundância da  vida  está  diretamente  relacionada a  consciência que  temos de onde  todos nós viemos . A  Mãe TERRA  nos pariu, a  Criação e  a  Natureza de  cada um de  nós, está  ligada a  esta NATUREZA  "Mater"  Mãe/Pai..

Me  dirijo aqui à  Todas as pessoas  que  conheci, conheço e espero ainda  conhecer e  compartilhar e  a  permissão neste  compartilhar...
Das  "certezas"  que tenho, se  assim posso "nomear"...Destaco  que  "Não  tenho pretensões  em ser infalível",porém que  busquei fazer meu melhor e busco, mas  sempre  terá  um "mas"...porque  em realidade, cada pessoa  é  um Universo á  parte, repleto de  compartimentos e mais compartimentose  de  SENTIRES  distintos...e isto  nos  enrriquece, ao menos  a  mim, enrriqueceu e  segue ..
Gostaria ,nestes  50  anos, poder  estar   como  sinto que  seria   o mais "condizente"  com meu espírito e  com tudo que nutro em meu coração, estando  frente a  um fogo cercada desta grande  familia e  dançando, olhando as  estrelas, a Lua, conversando, abraçando cada um (a)..

Aos  que  já  partiram, igualmente os abraçando, pois  jamais  deixaram de estar  vivendo em mim!
Compartilho deste sentirde  50  anos  aqui, porque meu coração pede, meu espírito clama e  queria  que  sentissem...
Cada um saberá   sentir  aqui nestas  "poucas  palavras", o que   digo á  cada um (a)..
A  Vida  é  realmente  uma  Obra de  Arteea cada novo amanhecer temos opção de  gerar  um "Novo"  cenário, ou não, ou  borrar  tudo (apagar) e  "fazer  um novo  recomeço", porém, sempre  estará  lá...o quadro do antes...porque  APRENDEMOS  com ele,com as  telas e  telas que  pintamos,ou as linhas e linhas  que "escrevemos", recuperando  compassos, passos "Passados, presentes e  Futuros",num aqui e  agora, o que  é  mais  "interessante" e divino!

Aos 50,particularmente, estou com outros ritmos..são ritmos onde a  mulher  sente-se  "bem diferente"...Para quem está perto, ou  já  passou dos  50, sabe  bem do que falo..Há  uma   quietude ,mas  um movimento  interno  impressionante! É  uma descoberta 'unica"  e  que  mostra   todos os elementos  em ebulição  dentro da gente! 
Fogo, Ar, Água, terra...Tudo vibra! Tudo sempre  vibrou, mas  "agora"  é  diferente...
É  como  se  a gente  estivesse constantemente  colhendo  e plantando,com fome  ou sem, mas  nutrida  na Alma, com Coração  Pulsando  ,muitas  vezes como se  estivéssemos segurando ele  nas  mãos!
Creio que sentem  "algo parecido"...Mas, o que sinto é   um turbilhão de  emoções  que as  palavras não alcançam, mas  o SENTIR  sabe...e  isto  "é  o suficiente"...digamos.

O Retrospecto  que se  faz,mostra  que  todo Guerreiro(a) ,"um dia se  equivoca, um dia  "se  desespera, um dia"decepciona", ou "se  decepciona", um dia contraría  ou é  contrariado, um dia cai, de  joelhos, e  chora,MUITO!
Porém, entre  "os  ditos "erros e  acertos" (como a  sociedade  convencional gosta de  "rotular")  não  ouso  julgar, porque  também aprendi que  quem "Julga  ao seu irmão (ã), não passará  impune.

Outro  dia ,escutei de  diferentes  grupos, que  dentre algumas ilusões  e pretensões  do ser humano, está  a de se  "ACHAR"  que se  sabe algo,ou que se  tem todas as  respostas..Não temos as  respostas,tampouco  aos 50 ousarei ter! Mas,creio que  se  fortalece cada  segundo mais, aquela  tranquilidade  em  olhar  nos olhos , de  coração aberto e  dizer, por exemplo: "SIM , errei, ou  "falhei", comigo  mesma, mas  aprendi!

Gratidão é  pouco  ao que sinto  nestes  50  anos! Sinto a  menina  em mim, a  Mulher em mim, a Mãe  em mim e também com "alguns cabelos brancos", sinto a  Lua  em mim, tocando-me sempre a  dizer...vamos passando á  limpo cada   compartimento,e  fazendo este scanner  com tranquilidade! Não  viemos com um manual  ,este manual é  escrito passo passo, em coletividade, em "dualidade", em familias, porque  Não temos verdade  sobre  nada! Nada  é  engessado, o script  é um transcrever, reciclar-se, aprimorar-se,com um "FIO CONDUTOR", de  bases na  Natureza de  cada "SER"...se assim nos permitirmos...

Não sei se  posso,mas  vou ousar  dizer  que aprendi muito nesta  trajetória  até  aqui, mas  quero aprender mais e  gerar  maior benefício por onde  passar..assim me  empenharei!
Todos  (as)  sabem  o quanto  cada um foi e  será sempre  muito importante  nesta estrada da  vida, neste tecer  de  aprendizados, de  sonhos e  realidades destes  "sonhos".

Algumas  pessoas me  cobram   maior  frequência  em comunicar-me  e digo  que   possamos sentir estas  comunicações,porque também aprendi que  os caminhos  ora  são "juntos"  ora  em paralelo..porém  que  saibamos dentro do coração, nutrir  respeito e  gratidão aos   momentos  em que  todos  nos permitimos  "estar". Tenho "muitos  defeitos", um deles é  achar  que  terei as  datas de  aniversários  "sempre anotadas...detesto  "datas", gosto mesmo  de  sentir que  alguém,um belo dia "Acorda", sente que  deve  me ligar, ou compartilhar de  um "Mate"  e me liga e  assim fazemos  acontecer..
Mas, "datas"  nem sempre  traduzem o REAL SENTIR A  FALTA DE ALGUÉM..Carrego  ao Coração todas as pessoas  que  UM dia  conheci, e sigo  "conhecendo"...As  vezes, algumas destas  "relações"nos desafiam mais, em aspectos   diversos,mas  ainda  assim, e sobretudo  por estes  desafios, nutro  GRATIDÃO e  Respeito,  também silêncios e  tempos  que  podem não mais "se dar"...porém que  Nada  fique pendente e  nisto, busco  Não estar pendente.
A  impermanência é  algo que também aprendi e  sigo  vivenciando..O Amor que  nutro  pela Terra, pela  Vida, e o AMOR pelas  criaturas  desta  CRIAÇÃO, é  infinito!  AMOR DE MÃE, AMOR DE  MULHER (Aguyjevete-Chaltumay),AMOR DE FILHA, AMOR...Mborayhu, Ayun..
Gratidão 
Tenham todos  um belo caminhar e  Um Novo Amanhecer, repleto de  energias  renovadas,muito Amor e Paz,Saúde  em todos os níveis!
Liana Utinguassú


Aguyjevete! Coloquei estes  videos de  Bethânia que  APRECIO,pois traduzem muito deste "Momento"  em que Renasço em mim..Para o Mundo

domingo, 22 de abril de 2012


SIN PALABRAS...(A TODAS)(OS) . EN TIEMPOS DE AJER, HOY Y SIEMPRE..
De mi Madre Tierra


De mi Madre Tierra traigo las raíces,
suelo prisionero de mi corazón;
bendita la esencia de barro y arcilla,
... cobija semillas en su vientre en flor.

Un sur de arrayanes esquilando al viento;
blanca en las salinas, negra en el carbón.
Dulce se descopla a orillas del río
en la voz doliente de algún pescador…


De mi Madre Tierra traigo las raíces,
cuna de mis sueños, un mate, un fogón.
Cañas y maizales, parrales y trigo,
mi sagrada tierra, cosecha de amor.
De mi Madre Tierra traigo las raíces,
suelo prisionero de mi corazón.


Doradas espigas recorren su pecho,
sombrero de albahaca, ceibo y girasol.
Descansa en la siesta bajo un algarrobo
y bagualeando viene al perderse el sol.

Historias de arrieros duermen en su lecho…
Pastora, alfarera, india en el telar.
Huellas ancestrales de un ocaso sabio…
De mi Madre Tierra yo les vengo a hablar…


Donata Paz

22 de abril não será mais simplesmente o dia da Terra, mas o dia da Mãe Terra.





Escultura -etnia Mapuche de  4mt-Representa Mãe,familia, Mulher, filhos..Está  Plantada em Porto Alegre/Jardim Botânico-(Escultor-Maestro Intercultural Nahuel Pino Lonkon-Indígena Mapuche)

 





Escultura -etnia Mapuche de  4mt-Representa Mãe,familia, Mulher, filhos..Está  Plantada em Porto Alegre/Jardim Botânico-(Escultor-Maestro Intercultural Nahuel Pino Lonkon-Indígena Mapuche)

No dia 22 de abril de 2009 na 63ª Sessão da Assembléia Geral da ONU foi aprovado por unanimidade o projeto segundo o qual todo o dia 22 de abril não será mais simplesmente o dia da Terra, mas o dia da Mãe Terra.
Mas, eis que  seguem  reincidentes  atropelos, desrespeitos, maus tratos a Terra  e  aos filhos as desta Terra.
Há  um "lindo movimento"  florescendo... Em meio a  outros tantos  desabamentos, tragédias, torturas, sequestros e  auto-sequestros humanos, sociais,políticos, etc..
Percebemos  que  há  uma  'cultura de Paz “  que se  dá conta que  "necessita PAZ", que está  participando de  um cenário por demais "doentio"  faz  séculos e  começam a  "despertar"...Mas  um despertar ainda  muito lento..(reflexões  de  cada um )...
““Um despertar lento  que  ainda  oscila  entre  “ poderes”, vaidades”, interpretações  dialéticas, distorcidas, destoantes, porém...insistentes...o que é "bom"...
Há  sim um "olhar"  uma necessidade ora de  promover escutas, mas  "escutas"  sem sentir, então acaba  que  se  esvaziam as  escutas... Elas  ficam sem ecos...Ecos do Espírito que apelam por corações  aflitos  por "sentirem"  entre  si..
Até quando? Sentem "alguns"  sentem "poucos",poucos  ainda muito poucos...Percebe-se  que   "muito poucos"  se  permitem tocar  no ventre desta Terra e  sentir  ..percebe-se  que  poucos muito poucos, abraçam a este ventre,negando muitas  vezes  esta consciência "feminina" e  Masculina dentro de  si mesmos..
Tantas  são as  "perguntas”, diferentes  respostas..diferentes  "olhares", poucos "sentires"...
Pouco sentir..
Ora sente-se "ordem", ora  desordem..
A  Terra  parece  estar mesmo  "em seu último parto"...ou  sería a Humanidade  que está  tendo sua  "ultima chance  em Respirar",em  florescer...em   contribuir  para este florescer?
Não se  trata de  "apenas  comemorar"..Dia da Mãe Terra..mas  acreditamos  que  celebrar  Todos os dias e  empreender  todos os esforços  por  Cuidar da  Terra e  Respeitar ao "Antes",o durante..
O Amanhã  dependerá  desta  "mirada", deste sentir..
Nossa  Mãe  está  tremendo, queimando, em tempestades  avassaladoras explosões cósmicas, explosões...
Mãe/Pai! Sou grata, muito grata por  ter nascido e  ter a  oportunidade em   contribuir para  Um Novo Amanhecer!Ojalá  Mãe, tenhamos  esta  "chance"! Por ti, sempre  buscarei fazer  meu melhor! Pelos Filhos (as)  também.Em gratidão eterna aos  ancestrais, Avós, Toda  família de ontem, hoje e  sempre!
Iporã Eté  aguyjevete
Liana Utinguassú


 

sábado, 21 de abril de 2012

Publicado em: Observatório do Direito à Comunicação

Comunidade indígena reclama protagonismo midiático


http://www.direitoacomunicacao.org.br/content.php?option=com_content&task=view&id=888

Comunidade indígena reclama protagonismo midiático





Por Tatiane Klein, especial para a Repórter Brasil*
16.07.2007




Na Aldeia Krucutu(SP), Quando estivemos com os Parentes e  do Lançamento Livro de  Luiz Karaí




Internet, rádio, papel e poder
Outro aspecto que atrai o interesse de jornalistas é a presença da internet, dos celulares e dos videogames na vida dos índios, normalmente colocada como contraponto às tradições indígenas. Luiz Carlos Karaí defende o uso da internet no processo de difusão de sua cultura e de contato com outras comunidades indígenas, não apenas pelo website mantido pela Associação Guarani Nhê'Porã, mas também por mecanismos de comunicação instantânea como o MSN Messenger e o site de relacionamentos como o Orkut.

Moradores da aldeia Krukutu exibem perfis no Orkut reafirmando códigos étnico-culturais e participam de comunidades como "Educação Escolar Indígena" e "Problemas Indígenas", espaços virtuais para a ampliação da comunicação interna entre integrantes, apoiadores do movimento indígena. "Estamos no século XXI", diz Luiz Carlos, lembrando que a cultura de seu povo, assim como as outras, não está parada no tempo. Além de ensinar informática às crianças e aos jovens nas 13 estações disponíveis no Ceci, o professor pretende compartilhar as habilidades que adquiriu no curso específico sobre a manutenção de computadores.

Se a internet já faz parte da vida Guarani, outros meios de comunicação mais próximos da cultura oral indígena - e que podem favorecer o protagonismo dos povos - ainda não são muito utilizados. Apenas mais recentemente, iniciativas como o projeto Educom.rádio, desenvolvido junto ao povo Guarani-Kaiowá de Amambaí, no Mato Grosso do Sul, passaram a efetivar a capacitação técnica para a implantação de rádios comunitárias. A experiência resultou, inclusive, na produção de um programa em yopará (mistura dos idiomas Português e Guarani). Na Região Nordeste, alguns povos - como os Xukuru do Ororubá, em Pernambuco, e os Pataxó Hã-Hã-Hãe, no sul da Bahia - já contam com equipamentos próprios para a produção de material radiofônico.

As insatisfações do movimento indígena quanto à regulação da radiodifusão comunitária pela Lei 9612/98 estão condensadas no Relatório da Oficina de Áudio para os Povos Indígenas, que aconteceu de 03 a 06 de junho de 2007 na aldeia Caramuru dos Pataxó Hã-Hã-Hãe. O documento aponta a necessidade de uma legislação específica para os povos indígenas que garanta especial respeito à diversidade de suas culturas e suas estruturas internas de organização social. No tocante às críticas a limitações físicas como o raio de abrangência de apenas 1 km, por sua vez, os povos se colocam ao lado de diversos setores dos movimentos sociais na luta conjunta pelo fortalecimento das rádios comunitárias.

O meio impresso também pode dar espaço para que as comunidades indígenas atuem como sujeitos em processos de comunicação. Na própria aldeia Krukutu, livros didáticos para educação infantil em guarani que reproduzem fotografias das crianças e textos de professores do Ceci, editados em parceria com o Ministério da Educação (MEC), aguardam distribuição.

Sob orientação das lideranças comunitárias, a associação de José Pires elabora e imprime folhetos informativos que procuram valorizar o potencial turístico da região da Krukutu, a fim de dar fôlego ao tekoha (modo de vida) Guarani. O ecoturismo possibilita a aliança dos povos de outras aldeias - Tenondé Porã, Ytu e Pyau (as duas últimas, na região do Pico do Jaraguá) - desde 2001 e acaba atuando em frentes fundamentais: na luta pelas terras guaranis, dificultando a "ameaça" de posseiros que avançam na região de Parelheiros; e na garantia do sustento das famílias que, muitas vezes, dependem da venda do artesanato e da renda de programas assistenciais do governo. A atividade amplia ainda as políticas de preservação ambiental, principalmente contra a poluição da água, essencial para o tekoha Guarani. Há inclusive um programa de visitas monitoradas com palestras e apresentação do coral Kyringue Vy'Aa, Vozes das Crianças.

A chave da relação entre indígenas e mídia passa pelas próprias comunidades, na opinião de Priscila, do Cimi, organização ligada à Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) que publica há décadas o jornal Porantim. O próprio Olívio Jekupé, da aldeia Krukutu, já escreveu textos para o periódico mensal, que destina 400 assinaturas a comunidades e escolas. Não faltam evidências de que os papeis de protagonistas nesse processo cabem aos próprios índios, superando a figuração na imprensa comercial e utilizando as ferramentas da comunicação conforme as suas próprias demandas. Afinal, como recorda Priscila: "Comunicação é poder, é disputa de poder".

*Estudante de Jornalismo da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP). Esta reportagem faz parte do Projeto Repórter do Futuro, da Oboré.

Vejam matéria na íntegra   no Observatório.

http://www.direitoacomunicacao.org.br/content.php?option=com_content&task=view&id=888





sexta-feira, 20 de abril de 2012

Acreditamos ser de  suma Importância o assunto Crianças Indígenas e  Não Indígenas, por isto, aqui  repassamos estas orientações  e que  realmente se  possa  avançar  em soluções!
Liana Utinguassú


Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente de Salvador inscreve para eleições 2012

As organizações interessadas em participar do processo eleitoral devem se inscrever até o dia 20 de abril. As eleições acontecem no dia 10 de maio.

Atuar nos processos de definição, execução, fiscalização e avaliação das ações e políticas de atenção à infância e adolescência. Este é o papel a ser desempenhado pelos representantes da sociedade civil que serão eleitos para compor o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Salvador. As instituições interessadas em participar do processo eleitoral, concorrendo ou votando, devem se inscrever até a próxima sexta-feira (20/04) *veja abaixo lista de documentos solicitados.

Para se candidatar, a entidade deve atuar há no mínimo dois anos no atendimento, promoção, defesa e garantia dos direitos da criança e do adolescente, em Salvador. Além disso, deve ter registro dentro do prazo de validade no CMDCA. Serão eleitas sete organizações da sociedade civil, com mandato de dois anos. A eleição será realizada no dia 10 de maio, na sede do Conselho (Ladeira dos Aflitos, n.º 15, Centro – Salvador/BA), às 9h.

Caminho para o exercício da democracia participativa - O CMDCA é um órgão deliberativo, composto paritariamente (com o mesmo número de representantes) por membros do governo municipal e por representantes da sociedade civil, escolhidos por suas organizações representativas.

Previstos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), os Conselhos de Direito se apresentam como instâncias onde a participação política da sociedade civil e o exercício do controle social são possíveis e garantidos por lei. Esses espaços têm uma importância histórica e social legítima, pois representam um esforço da sociedade na luta pela efetivação da democracia participativa.

*Lista de documentos para participação nas eleições:

1. Requerimento conforme formulário disponibilizado pelo CMDCA (original);
2. Ata de Eleição e posse da Diretoria atual (cópia);
3. Estatuto registrado em Cartório há mais de 02 (dois) anos (cópia);
4. Comprovante de Registro no CMDCA, dentro do prazo de validade (cópia);
5. CNPJ atualizado (cópia);
6. Relatório de Atividades do ano de 2011 (original);
7. Plano de Trabalho do ano em curso 2012 (original).

MAIS INFORMAÇÔES:

- Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA)
Contato: Renildo Barbosa – presidente (71 3328-7737 / 3329-6516) http://www.cmdca.salvador.ba.gov.br/ / http://www.cmdcasalvador.blogspot.com/
Fale conosco:(71) 3503-4464 ou 3503-4477
Visite a CIPÓ ou mande uma mensagem:
http://www.www.cipo.org.br/ ou mobilizacao@cipo.org.br
Saiba o que se passa no resto do país.
Visite o site da Rede ANDI Brasil:
http://www.redeandibrasil.org.br/




quinta-feira, 19 de abril de 2012


Com Respeito aos Ancestrais, Gratidão Eterna, aqui postamos comunicado de Felipe Milanez, endossando que  neste "Dia do Indio", Jamais esquecemos o "ANTES", o Durante e  o Agora...e que  buscamos  Um Novo Amanhecer, onde  efetivamente possamos Testemunhar  Py'aguapy -Paz  para  com as Nações Indígenas, Respeito aos seus Direitos, Direito à EXISTIR,Viver,e conviver. Seja  no Brasil, seja  nas  Américas, No Mundo Todo! não mais a perseguições, torturas, sequestros, Leis Anti-Terroristas, Não MAIS, genocídio,Etnoc´´idio, NÃO MAIS! Não mais abuso de PODER,NÃO MAIS! Não MAIS "O M I S S Õ E S..NUNCA! E Jamais desistir! Somos e seremos SEMPRE!
(Liana Utinguassú)-Guarani

Amigas e amigos
Hoje é o "dia do índio", e convido para visitaraem um site com uma reportagem e um filme curto sobre a luta do povo guarani e kaiowa no Mato Grosso do Sul:

http://lutaguarani.wordpress.com/

Ano passado eu visitei algumas comunidades guarani e kaiowa no MS, logo após o assassinato do cacique Nísio.

Na assembléia Aty Guassu, recolhi depoimentos de lideranças sobre a situação de violência a que estão expostos. Todas as lideranças que aparecem nesse video estão, ou se sentem e já foram, alguma vez, ameacadas de morte. Tonico Benites, antropólogo do Museu Nacional e liderança kaiowa, é o caso mais recente.
Tanto o filme, quanto o texto são livres para serem reproduzidos e divulgados (creative common).
O filme está no youtube e é facilmente compartilhável.

[The film has English subtitles]
http://www.youtube.com/watch?v=OoyaR5KZGvM&feature=player_embedded

Um abraço
Felipe
Compartilhando na Rádio Ipanema Comunitária Hoje, 19/04/2012 e  sábado às 9:00 da Manhã.
"Dia Do Indio"..O Antes,o  durante e  o "Hoje", visando UM NOVO AMANHECER, focamos ás  Crianças(Kringué) sobretudo, Promovendo Um Novo "Olhar", através de intercâmbios Multiétnicos, da  Arte/Cultura/e Sentindo  como realmente  podemos operar em "Rede, Coletivamente".
*O que  "parece  SER", mas  acaba Não sendo,no que tange ao Universo Indígena.. As  Necessidades preementes  das comunidades no Brasil/América Latina, e nossa Realidade aqui  no Rio Grande do Sul, Porto Alegre .
Entrevistada: Liana Utinguassú-(Ascendência Guarani)
Servidora/Presidente Organização Yvy Kuraxo
Consultora em Temáticas Multiétnicas/Brasil e Américas
Na foto: Sandra Paixão/Liana/Nahuel Pino Lonkon(Mapuche)


http://www.ipanemacomunitaria.com.br/2/index.php?option=com_contact&view=contact&id=1&Itemid=37



Fica  aqui ,neste final de dia 19/04/2012..um video  como  parte de  UM SENTIR..  e  uma  frase  também que  traduz  visão Multiétnica, onde  reverenciamos, Indios, Negros, Todas as  Etnias, Guerreiros e Guerreiras  que  deixaram uma  Trilha  para  que  a  Humanidade Pudésse  'SENTIR" e  caminhar, dentro deste SENTIR, porém..nem sempre se  SENTE, nem sempre se  Encherga, e  tampouco se escuta a  VOZ DOS ANCESTRAIS..
No livro "Não podemos esperar", Martin Luther King escreve que "todo povo possui sua parcela de covardes, oportunistas e traidores", concluindo porém muito sabiamente que, "o importante é que as características dominantes da maioria, sejam a honra, a decência e a coragem."
Apois em Solidariedade  aos Pataxós Hã Hã Hãe


Em  Apoio e Solidariedade
Vimos por intermédio desta,Manifestar aqui nossa Solidariedade aos Parentes  Pataxó HãHãHãe em suas  tomadas de  decisões em  busca  sempre de  defender seus direitos, com dignidade e justiça de forma coerente. Não se  pode  interpretar que  os Pataxó estejam "Invadindo", pois este Território sempre foi  de  Direito, dos Pataxos, assim como  acredita-se  que  devam ser salvaguardados seus Direitos,conforme reza  Constituição, Oit169, Direitos Indígenas,Direitos Humanos.Por  isto,aqui reiteiramos  nosso manifestoem Solidariedade e  em Respeito aos Pataxó,extensivos também á  Todas as  Etnias Indígenas .Abaixo  colocamos carta aberta  da  Liderança Pataxó que  solicita  este repasse e  assim faremos chegar em todos os canais  onde temos acesso. (Os vídeos acima retratam "alguns históricos envolvendo a  trágica situação dos Pataxós- bem como manifestos  de  nossa  parte, em solicitação de  PROVIDENCIAS.
Liana Utinguassú
Servidora/Presidente/Yvy Kuraxo
Organização Focada  em questões  Multiétnicas/Indígenas-
Visão Pluricultural- Brasil e  América Latina
ATENÇÃO!! Amigos Leiam esta CARTA*
CARTA DA COMUNIDADE PATAXÓ HÃHÃHÃE
Postado em 17 abril 2012.

ARARAWÃ
...
A comunidade Pataxó Hãhãhãe, cansada de esperar pelo o julgamento do STF. Resolve a fazer as retomadas de suas terras por conta propria. Desde DOMINGO que os índios ocuparam a região dos Rio Pardo, uma área grade, aonde vivem poucos pecuaristas e ocupando grande extenção de terra. Essa área está bastante degradada. Tinha uma grande floresta que foram destruídas para a criação de gado. A comunidade toda resolve se juntar para recuperar as terras. A retomada tem índios adultos, crianças, idosos. Todos realisando um sonho. Ter a terra de volta. A mídia está colocando várias matérias contra os índios Pataxó Hãhãhãe como exemplo a Rede Globo, criando uma falsa imagem que nós indígenas somos Criminosos, violentos… Muitas pessoas dos municípios vazinhos estão com medo destes conflitos. Mais eles não precisam ter medo de nós indígenas e sim dos fazendeiros, que estão contratando pistoleiros na região para jogar contra os Indígenas.

As áreas recém ocupadas por nós índios, já está sendo retirada os moveis e animais de alguns fazendeiros. Essa luta se estende por mais de 30 anos. Desde quando os nossos antepassados foram expulsos desse território a força. Muitos dos índios foram mortos e roubados as terras, hoje seus netos, querem essa terra de volta, estão lutando. Toda a Vida, as terras que conseguimos foi através de retomadas. A justiça nunca nos deu nada, e principalmente deveriam punir os assassinos dos parentes de indígenas que morreram vitimas de tocaia. Os Pataxó Hãhãhãe, estão cansados de tanto apanhar! Ontem pela amanhã os fazendeiros se reuniram juntos com seus comparsas e fizeram barreiras queimando pneus velhos na entrada do município de Pau Brasil-BA, gritando revoltado com os índios, e dizendo que se pegasse um índios na cidade iriam matar. Alguns amigos que temos na cidade nos avisaram e evitamos acesso na cidade, os fazendeiros fecharam as duas vias que dão acesso aos índios a cidade. As noticias que tivemos é que alguns indígenas foram pegos de surpresas e ameaçados recebendo torturas e até mesmo roubados. Hoje tem índios espancados e feridos pelos os pistoleiro de fazendeiros.Dos indígenas que tiveram na cidade foi submetido a se esconder, ou até mesmo a fugir para não ser pegos por homens dos fazendeiros.

RETOMADA PARAXÓ HÃHÃHÃE
ARARAWÃ

O clima em nossa região está tenso. Todos nós estamos sofrendo e otimista que estas terras fiquem em nossa posse.A nossa expectativa é que a justiça julgue o território e não tenha trabalho para tirá os fazendeiro, porque isso já estamos fazendo… o que está para ser julgado não é a terra e sim os títulos falsos que o governos passado deram aos fazendeiros. compartilhamos imagens da retomada. Hoje os índios cantam toré e pisa em sua terra, aonde a muito tempo os fazendeiros ameaçavam a comunidade dizendo se os índios chegassem ,eles teriam muitas armas para colocar os índios para fora. Isso caracterizam que Tupã é mais forte de que qualquer valentão.

BARREIRA NA CIDADE DE PAU BRASIL FEITA PELO OS FAZENDEIROS, IMAGEM FEITA DA ÁREA RETOMADA.//ARARAWÃ

Pedimos apoio que a sociedade Brasileira, não acredite no que a Globo divulga, ela tem lado “os fazendeiro”, pois o que reivindicamos é a nossa terra, não é nossa intenção machucar alguém. Mais a mídia da globo manipula imagem e querem jogar a sociedade contra a nós Pataxó Hãhãhãe. Conheçam a nossa história e vão perceber que estamos com RAZÃO!

CARTA DA COMUNIDADE PATAXÓ HÃHÃHÃE

Paulo Rosa Titiar Vieira Titiar diz a repeito desta CARTA "eu quero que ela chega o outro lado do mundo"
Poderia nos ajudar a compartilhar esta importante Carta dos Pataxo Hã Hã Hãe
contato: Marly Machado com o pataxo Paulo Rosa Titiar Vieira Titiar

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Maitei!! Añe'êta che angirû, ha pehengue guarã (saudações! familiares -irmãos)
Aguyjevete hína ñande ypykuéra, ñande sy, ñande ru.. Hese, ñaime ko'ápe, ha ko'ángaite, upeicharamo, ñande mandu'a va'erã akói hese!
Com satisfação informamos  que  Sr. Ari é atual  Cacique na  Aldeia Jaraguá-SP.
Ele é enteado da Cacique Jandira.
Fonte da  informação: Lucinéia Vieira(Voluntária Humanista que dedica-se incondicionalmente aos Parentes  Guarani/masi  diretamente  no Jaraguá.)
Gratidão  Lucinéia .que  ñanderu, ñandedjara,ñamandu, Tupã nos  ajude  e  com certeza  Sr. Ari está muito bem amparado e  tem todas as  credenciais  ,experiência, sabedoria  Ancestral!
Aveikó!
Liana Utinguassú










Yvy  Reñoi-"Este é Mais que UM CHAMADO!"

E mais um ano  ,mais   "comemorações"  no "Dia  do Indio"...Soa  estranho não? Pois é, ainda se repetem os  mesmos "ransos", contradições de um passadoque  persegue, ignora  Direitos, oprime, yortura, encarcera,Desrespeita  brutalmente  aos  filhos e filhas  da  Terra e   as  nações  que  aqui  estavam "Antes" e  seguem estando, foram escurraçadas  dos seus espaços .tem seus territórios limitados, e ~ seguem tenfonegados  Direitos à  Vida.
Todo  Ano, chega  nesta "etapa"  do Ano, e   no  calendário  estabelecido vemos  sequências de  "comemorações".Semana dedicada à  A.B,C,D...
Propomos  uma  PARADA  nascomemorações e uma convocatória  permanente  para  cada  uma destas  datas, acomeçarpor  terminologias "Comemorativas" ,passasse a  Sociedade a  Não  comemorar  e  sim revisar.fazer  uma  prova  secular..Refletir  sobre  o Antes, o durante  e  o que se  quer  no "Amanhã".
émuito  bom secomemorar, mas  vamos  deixar  bem pontuado  aqui, para  não pairarmais "dúvidas".Não  Háo que se comemorarem dia  do Indio.éuma  piada   de"muito mal gosto"  seguirse  utilizando  desta"frase  comemorações  do Dia  do Indio",pois  soa sempre como  "prêmios de  consolação",espelhinhos que  foram dados no passado, "Não mudaram"  nada! Seguem   aí, sendo ofertados, e  o  preço  é  alto!
Muitos  avós, crianças  ,Comunidades  inteiras, estão sendo  exterminadas sim!
Não temos muito á  declarar, mas seria  mais  que  oportuno,começar  a  imprimir-se  uma  outra  "cartilha".
A  CARTILHA  DO  QUE  "NÃO FAZER"  NO DIA DO INDIO,(à começar  por eliminar a forma como  se  segue desrespeitando  as Nações  Indígenas,até hoje! Não  adianta  seteruma  atitude  de"reconhecimento  das preementes  necessidades", das  populações Indígenas,apenas  uma  vez  ao Ano, ou  "flutantes", porque  todos,merecem  viver  com dignmidade, ter o que  comer, onde  viver,tendo respeitados  seu modo de  vida, suas  creinças, sua  Cultura, e resguardados seus  Direitosefetivamente  na prática, não apenas  "em uma 'Lei que  não se  cumpre".
São  tantas as  contradiçõescom esta  "terminologia de  Comemorações  e  com outros  "discursos"  também, que bem sabemos, só  servem para fins eleitoreiros e "outros "fins", que  dão fim ásvidas deFamilias inteiras!!
A  Petição  contra despejo  dos  Guarani  no Mato Grosso ,segue com poucas assinaturas clique e verá,1884pessoas assinaram, em meses  onde  vemos  outras  petições  alcançando  40.000, assinaturas  rapidamente, mas  em se  tratando de Vida Indígena, o assunto é absurdamente  "LENTO",ignorado ...Mas,  no Google, e em diferentes  "Redes"  como facebook e  outras, obombardeio  em noticias  e  "curtições"  é astronômico! E  nos  perguntamos: "O que  norteia  o caráter daSociedade, da  Humanidade? porque  é  visível que   há  uma terrível  contradição entreo que se  "sente", se pensa e  se faz.",talvez  esteja  invertido aí  aordem  dos  fatores  e ALTERA muito, os resultados. Talvez  as  pessoas Não estejam SENTINDO..Ou  sentem da  "boca para fora"...
Andamos  "mais que  indignados"  com as negações dos fatos!..Com os   silêncios,com omissões de   uma  grande  parte  da população.
Bonito  comemorar,é bom, se criam "debates",bem ou mal, se gera  "algo",masnão se sai  do mesmo ponto..Todo Ano, por exemplo, apelamos por um S.O.S, permanente  nas  Aldeias e  contamos  nos dedosdasmãos, quem se  engaja em multiplicar  o apelo e  fazer  acontecer! Todo Ano  nos perguntam  como  fazer, como ajudar, mesmo  sabendo  que    é simples, basta  por exemplo,  ter a  consciência permanente  em reunir    todo ano,auxilios permanentes. Os  supermercados, por exemplo, tem lá  caixas  para "(campanha do agasalho, não tem?), para  reunir  cupons fiscais e  reverter  em auxilio a crianças ,creches..Não tem? outros  que não contam  com uma  "estrutura  comprometida  e  um espaço  com logistica "formalizada", precisam de  AJUDA!
Quando digo áspessoas  que  quando se  quer se  faz, é  porque assim é.porém,pode-se  FAZER muito mais, se  houver  outro Olhar, um Olhar  onde   as  pessoas  se  envolvam permanentemente,se  engajem e  nos  ajudem a  FAZER mais! trabalhar em Rede, é bonito se  dizer, mas  melhor é FAZER!Não isoladamente, mas  unir-se de  verdade  no FAZER! Porque senão, as ações  também ficam "vazias" e sobrecarrega..também,mas   o pioré quando se  tem 40 toneladas  de leitecomo já tivemos e NÃO ESQUECEMOS, que  não  conseguimos distribuir, porque Não temos uma estrutura  ,uma Sede,um depósito,tampoucoveículo e pessoaspara  recolher  eentregar alimentos.
Em alguns locais  como Banco de  alimentos, não conseguimos  cadastrar-nos, porque  "não temos  Sede, nem depósito".
Para quem não sabe, fundamos uma  Organização porque  justo nos exigia  o Sistema, ter um CNPJ e tudo mais.."bonito", dentro dos padrões que a  Socidade  dita "Civilizada  requer".
Fomos  além!  Conseguimos um Certificado de Oscip( oque  é algo muito IMPORTANTE"..São 7 anos,trabalhando com grandes esforços, além do que se pode!(Afora  mais de  25 anos em uma  caminhada  antes  de  fundar a  Organização) mas,não se  trata aqui de focar  na  Organização Yvy Kuraxo(Oscip fundada  em 14/07/2005), da qual sigo sendo uma servidora  na Presidência. Se  trata do "DIA DO INDIO"!! Se  trata de  buscar  que  todo dia, seja  Dia de  Respeitar ,e para Respeitar, é  preciso  "Sentir"...
Sentir  no canto das Crianças, que NÃO  são Mendigos!  Jamais  foram!  São Guerreiros!  Guerreiras! sentir nos Avós,que  são  "Ouro precioso, Bibliotecas Vivas"!  e  Valorizar as Culturas  Tradicionais,vendo o Antes...não ignorando,ou ofertando "breves  comemorações",ou  algumas  ajudas exporádicas...
Observamos,sentimos e constatamos  que  muito,muito ainda  se  tem que trilhar  para  que UM NOVO  AMANHECER possa ser  "mais  viável"..porque ainda é incerto, mas  nos  compete  FAZER,semear novas  sementes, e correr  atrás.Não esperando desculpas por Não fazer  e sim razões  para fazer.Digo  e  repito aqui e sempre:" Os  500anos, seguem sendo  de genocidio, etnocidio, e  um  ignorar das  Leis.Não  podemos amortecer  o impacto de uma realidade dolorosa  e  que "poucos"  querem realmente  SABER.
S.O.S é permanente,e nós  também necessitamos que  "Você"se  engaje,e  que  possamos  gerar melhores  estruturaspara  um ritmo melhor das  ações que  não se  restringem apenasem 'Projetos" e  SIM em uma rotina  que  vai bem além de  Projetos.
deixamos  aqui um site  que  achei,particularmente interessante, na  forma de  abordar..onde  tive "poucas  ressalvas", mas apreciei a  iniciativa.
A Petição elaborada,igualmente  deixamos  aqui..para que  cada  um "sinta"-
http://andreabrelaz.blogspot.com.br/2009/04/dia-do-indio-19-de-abril.html (Citamos  aqui,alguns sites  pesquisados, que  deixamos para o SENTIR de  cada UM).

Agradecendoasiniciativas, e aos que se engajam ..de alguma forma.
Convidamos"Você", a REALMENTE  ENGAJAR-SE  CONOSCO!
Liana utinguassu
Presidente Organização Yvy Kuraxo
Coração da  Terra

"Para  Fazer  Florescer  um Novo Amanhecer, é  precisoum semear  Coletivo".pelos Coletivos.Indígenas e  Não Indígenas.
Uma visão Multiétnica, de Consciência, Respeito, Ancestrais. A  Terra e  seus filhos(as).
Nãomais "prêmios de consolação",Não mais espelhinhos ,ou  brindes..ou  cestas  básicas (flutuantes)
Saúde, saneamento, estrutura de uma  vida Digna  e  condizente com a Realidade de  cada Cultura, é básico, é vital! E  Quando seler  uma  Petição destas,multiplicar,com Todas assuas dorças, porque SÃO VIDAS, vidas de  crianças que  morrem por bala perdida, por falta de socorro médico, por  "rota  vírus", por  outras  tantas  ameaças constantese Torturas  inimagináveis! Desperta Brasil!Desperta América Latina!


segunda-feira, 9 de abril de 2012




Agora  em Porto Alegre/RGS- Hana Matsuri- Temos  Alegria  e  Gratidão em Divulgar aqui  , também!  Parabenizamos  aos Parentes  e Toda  Sanga  Budista  que se  engaja  e  tras  á  Porto Alegre/RS, este  Florescer  em Coletividade de  forma Multiétnica, Pluricultural.
Monja Isshin, Sanga da  Compaixão, CEEB Centro de  Estudos Budistas, Lama Padma  Samten  e  Sanga  compartilham  conosco. O Projeto é  "mais que  um Evento"  e ao nosso ver, compõemelementos "chave"  dentro de  uma Cultura de  Paz..(Aqui, reforçamos este Convite).Liana Utinguassú
Abaixo  colocamos  alguns vídeos  onde  Hana Matsuri já foi realizado.



De acordo com a tradição budista, uma chuva de pétalas e néctar caiu quando o Buda Shakyamuni nasceu, no dia 8 de abril de 566 A.C.. Para comemorar a data, os japoneses criaram o Hanamatsuri, ou Festival das Flores. A festa espalhou-se pelo mundo, e no Brasil já acontece em São Paulo, Curitiba e Florianópolis. Este ano, pela primeira vez, Porto Alegre vai ter a sua versão do evento, que acontecerá na Usina do Gasômetro, nos dias 21 e 22 de abril.

A extensa programação cultural, artística e religiosa inclui uma mostra de cinema e fotografia, oficinas de origami, shodô e ikebana; apresentações de música, danças típicas e artes marciais e uma procissão com o Pequeno Buda, com a participação de crianças vestidas com trajes típicos, além de outras atividades.

 O tradicional ritual do banho do Buda com chá adocicado, chamado Kanbutsue, é um dos principais acontecimentos da festa. No budismo japonês, acredita-se que quem homenageia o Buda na ocasião do seu aniversário é abençoado e tem seus pedidos atendidos. Ao banhar o Iluminado, a pessoa imagina que está banhando a si mesma. Assim, ela purifica o coração e pode avaliar sua conduta perante a vida.

O ritual consiste em ir até o altar, chamado de Hanamidô, recolher o chá em uma concha e derramar sobre a cabeça da imagem do Buda menino três vezes. Segundo a lenda, o chá representa a chuva de néctar que caiu para anunciar o nascimento de Shakiamuni, o que fez com que as flores se abrissem em sua homenagem. Apesar de ser doce, a bebida não contém açúcar e vem diretamente do Japão.

O nascimento de Buda é comemorado como "Vesak" em quase todos os países asiáticos. Também já é festejado nos Estados Unidos e na Europa. A diferença entre o "Vesak" e o Hanamatsuri é que o primeiro inclui a celebração da iluminação e a lembrança da parinirvana do Buda, enquanto que no Japão e no Brasil estes outros eventos são celebrados em datas diferentes (8 de dezembro - iluminação e 15 de fevereiro - parinirvana).

Dependendo do calendário lunar chinês, o festival pode ser em abril ou maio. No Japão, a festa se assemelha à realizada em São Paulo. Na Índia, onde 6% da população são budistas, as pessoas vestem branco e é servido arroz doce, ou kheer, para lembrar a história de Sujata, uma donzela que teria oferecido ao Buda uma tigela da guloseima.

Na Coréia, durante o mês da comemoração, lanternas são usadas para decorar os templos. No dia do aniversário, comida e chá são oferecidos gratuitamente para as pessoas que vão prestigiar o Buda. Já no Nepal, o nascimento de Buda é reverenciado durante um mês inteiro. O dia é chamado de Buda Purnima. Comida não vegetariana é proibida e, como na Índia, os budistas também usam roupas brancas que representam a paz.

Em Porto Alegre, a coordenação do evento é da Sanga Águas da Compaixão (Jisui Zendô) e do Cento de Estudos Budistas Bodisatva (Cebb).

Programação

o    Cortejo Hanamido, procissão com o Pequeno Buda, com a participação de crianças vestidas com trajes típicos

o    Cerimônia inter-religiosa de nascimento do Buda Shakyamuni e Kambutsu-e (banho de chá adocicado no Pequeno Buda)

o    Mostra de cinema e fotografia.

o    Apresentações artísticas e culturais (música, danças típicas, artes marciais, etc).

o    Palestras sobre temas relacionados à educação pela paz, sustentabilidade, cuidados com o meio ambiente.

o    Gastronomia – serão comercializados pratos típicos orientais, tais como: sushi, temaki, yakissoba, pratos tibetanos, doces.

o    Exposição de artesanato, cerâmica, bonsai.

o    Oficinas de origami, shodô, ikebana.

o    Espaço de meditação – participação de diferentes tradições.

o    Barracas para divulgação da cultura oriental, gaúcha, negra e indígena através da comercialização de artesanato, alimentos.

o    Espaço de cura com acupuntura, shiatsu.

o    Espaço de divulgação da cultura japonesa, tibetana, gaúcha, negra, indígena e andina.

o    Paralelamente, outras cerimônias inter-religiosas poderão ser realizadas, tais como, Cerimônia de Cura do Meio-ambiente, Oração pelos necessitados e falecidos em desastres naturais e Serviço de gratidão aos antepassados e ancestrais.

Organizadores

Centro de Estudos Budistas Bodisatva (CEBB)

Jisui Zendô (Sanga Águas da Compaixão)

Local: Usina do Gasômetro, Porto Alegre-RS

Data: dias 21 e 22 de abril de 2012

Informações:   helenayando@gmail.comEste endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. (51) 9943-1504
viamao@cebb.org.brEste endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.      (51) 8509-0376

sábado, 7 de abril de 2012